Últimas notícias

Imposto Vinheta

Não se oponha, fique junto!

13/02/2015

Você seria capaz de imaginar o mundo do trabalho, hoje, sem regulamentação, sem que os patrões tivessem a obrigatoriedade de cumprir uma série de leis trabalhistas, cujo único propósito é proteger o trabalhador (a)? O cenário seria de balbúrdia, desamparo, para dizer o mínimo. E como seria este mesmo mundo sem os Acordos Coletivos que asseguram garantias trabalhistas exclusivas de uma categoria? O trabalhador viveria, certamente, em instabilidade psicológica e econômica e nunca assumiria a condição de conhecedor dos seus direitos. Nunca poderia reivindicar nada.

Felizmente, reivindicação e negociação são palavras há muito incorporadas no dia a dia do trabalhador brasileiro. Negociar, reivindicar, cobrar direitos e garantias são termos que ganharam força com o movimento sindical, juntamente com a consolidação do capitalismo. Em qualquer época, ou região do mundo, as entidades sindicais sempre estiveram à frente dos patrões e do governo em defesa dos direitos dos trabalhadores. Mas para realizar essa defesa com eficiência, os sindicatos precisam dispor de um orçamento, afinal, são entidades sem fins lucrativos, administradas por trabalhadores e mantidas com as contribuições de trabalhador(a). Representar os profissionais de uma categoria exige uma infraestrutura relativamente modesta, mas que tem custo. O SEEL, por exemplo, emprega um quadro pequeno de funcionários que também precisam ter garantidos os seus direitos trabalhistas, e prestadores de serviços em diversas áreas para que toda a engrenagem funcione para atender as demandas da nossa categoria.

Apesar de não ser obrigatória, a sindicalização é um investimento que você pode fazer em favor de sua vida trabalhista. Associar-se a um sindicato é um direito garantido pela Constituição Federal, e quando você opta por investir na sindicalização, está escolhendo ações que valorizam o seu ofício. Ser um trabalhador sindicalizado, fará toda a diferença nas lutas que são travadas tanto em âmbito local, com o sindicato patronal, como em esfera nacional. Um sindicato forte que amplia o pacote de benefícios de sua categoria, é um sindicato cujos trabalhadores são ativos, participativos e que estão sempre juntos por menores que sejam as decisões. A oposição nos separa, nos torna frágeis, mas a sindicalização nos une e nos fortalece para muitas conquistas.

Compartilhe: